quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Decidindo a Fotografia do seu casamento - parte 1: os diferentes estilos de fotografia


Quer um registro fotográfico lindo mas não sabe por onde começar? Então senta aí que o papo é contigo (Imagem: Tulio Thomé)
Minhas senhoras casadoiras, como vão?
Olha, um dos lances interessantes de estar desse lado de cá do negócio, como noiva-sênior (rysos) e fornecedora, é poder montar uma visão mais panorâmica dos perrengues recorrentes que envolvem a montagem de um casamento. Entre as minhas freguesas, é com certeza a fotografia que mais deixa todo mundo bolado e confuso. Os valores assustam e as opções são inúmeras. Também cada um diz uma coisa no seu ouvido "ah! tem que escolher com o coração!" "ah! é um registro eterno!" "ah!! tem que ter álbum". É.. numa coisa tá todo mundo certo, a fotografia é um registro eterno e por isso deve ser escolhida com muito carinho e cuidado.

Mas aí eu acho engraçado porque ninguém nunca fala sobre exatamente que cuidados são esses e, porque as informações parecem meio vagas, a gente acaba tendendo a achar que o mais seguro é escolher a galera com maior preço ou os mais recomendados pelas noivas, pelas revistas. Meu objetivo nesta série de postagens é tentar esclarecer as dúvidas mais frequentemente perguntadas pelas senhoras aqui no blog, na fanpage e nos emails. Espero ajudar um pouco na hora de tomar a decisão derradeira.

Trabalho autoral x Trabalho mecânico
Fotografia é uma arte, o fotógrafo é um artista. Mas a verdade sobre o mundo é que isto não é uma regra. A primeiríssima coisa a ser pensada na hora de fechar esse item é: queremos um registro visível de tudo o que aconteceu no nosso casamento ou queremos um registro dotado de estilo do que aconteceu no nosso casamento?
Deixa ver se explico melhor. Com o advento da fotografia digital e do primado da imagem sobre o texto a gente meio que ficou com os olhos viciados em rostos, corpos e imagens de situações. Quando olhamos pra uma foto hoje a nossa cabeça mais se interessa em entender o que está nela, do que ela se trata, do que pela sua qualidade. Se eu consigo ver a noiva, se eu consigo entender que ela jogou o buquê do alto de uma escada, se achei lindo os noivos abraçados com um cachorrinho ESSE FOTÓGRAFO É BOM. Se isso basta pra você, serião, não gaste grana com este item. Chame o sobrinho, uns amigos e deixa que a galera registra pra você e te manda por email. Tem um monte de empresa por aí sem comprometimento algum com a qualidade, o negócio deles é fazer fotos de casamento em que as pessoas se vejam e ponto. Isso de composição basicamente não existe no mundo deles. Não os julgo, temos contas a pagar e, se tem quem contrate, por que não oferecer o serviço?
Conheço empresas de fotografia com  15 fotógrafos que todo final de semana se deslocam pra fazer 4, 5 casamentos. Vale ser no mesmo dia, vale ser só fotos da festa ou do making of, eles fazem o que você precisa e o que você está disposto a pagar. Um lance é um lance, romance é romance.
Eles entregam as fotos no dia seguinte (aliás, rapidez é a principal propaganda que fazem de si!)

OS ESTILOS DE FOTOGRAFIA
Cês lembram do Arcadismo, do Naturalismo, do Romantismo...? Então, a fotografia de casamentos hoje também possui diferentes escolas, diferentes estilos - todos eles subgrupos do grande guarda-chuva chamado Fotografia social. Então, antes de pensar em grifes ou no que disse Fulana, Beltrana,  papagaio e periquito, o casal precisa decidir que estilo de registro fotográfico se encaixa no conceito do casamento. A fotografia de casamentos hoje se divide em duas principais abordagens: a Tradicional e a Fotojornalística.

Fotografia Tradicional
Nesse estilo, busca-se um registro mais clássico do casamento, mais posado também. O ojetivo dos fotógrafos tradicionais é não deixar de fazer as imagens consideradas essenciais de se ter do grande dia; a noiva saindo do carro, o beijo no altar, o corte do bolo, a foto em família. Uma característica forte da fotografia Tradicional é que há um certo controle do profissional sobre os eventos do casamento, há uma certa direção. Esse é um estilo que todo mundo chuta, mas diz aí: dá pra não ter foto com seus pais??
O que a galera precisa enfiar na porra da cabeça é que os caras tradicionais não são vilões! Minha amiga, muitos deles vieram ou aprenderam fotografia com a galera oldschool da era analógica. Na época em que filme era caro pra cacete, que ter um rolo de 36 poses era o ápice das suas férias em Araruama, só era possível registrar direito um casamento focando num roteiro bem rígido do must to have e, pra fazer essas imagens obrigatórias sem queimar filme atoa, era essencial que o fotógrafo dominasse a cena pra que as coisas não saíssem cagadas. Olhar no monitor e ver como tava ficando e apagar o que ficava  ruim não rolava. Se cagasse, ia ficar cagado pra sempre, apenas adeus.
Acho que deveríamos respeitar mais este heróico passado da fotografia de casamento.

Fotografia posada não é sinônimo de fotografia chata! É o que prova Klaucius Ank com suas fotografias intituladas "Étudo pose"
O Felipe Maiato não é um fotógrafo tradicional, mas seus registros históricos de noivas (onde ela aparece sozinha e de corpo inteiro) são geniais e atemporais


Fotografia Meio tradicional, meio editorial

Pensa num lance casamento de revista. Então, nesse estilo pose é ótimo, bora fazer! A ideia é que os noivos - principalmente a noiva - vivam um dia de glamour e se sintam lindos. Outras imagens são feitas, obviamente, a cobertura do casamento corre normalmente unindo fotos obrigatórias, decoração (bastante valorizada neste estilo) com imagens posadas, mas que não sejam sérias e robóticas. Encontrar o equilíbrio entre a espontaneidade e o parar pra tirar foto não é pra qualquer um.




Fotojornalismo
Olha só que coisa louca: embora possa parecer, a fotografia fotojornalística não tem necessariamente a ver com reportagem ou com a imprensa. O termo - como quase tudo hoje nos casamentos - foi herdado dos americanos, photojournalism. Eu tô falando isso que é pra você entender qual é a da proposta. Pros americanos, photojournalistic é a fotografia feita pra reportagem, com o objetivo de ser notícia; são flagrantes, denúncias, ilustração de um texto jornalístico. Já photojournalism seria a fotografia social feita à semelhança de uma reportagem, ou seja, o foco desses profissionais é capturar os momentos sem muita interferência, fazer flagrantes com um objetivo de construir uma narração do casamento.
O fotojornalismo também envolve imagens que não necessariamente são as do casamento, mas que são capturas de fine art mesmo. Podem ser objetos, animais, crianças, casas, situações que pintaram na hora e que servem para criar o contexto emocional e afetivo do relato.

Marina Lomar
Pés da noiva e pés da filhinha da noiva

Dá pra dividir o fotojornalismo e dois subgrupos:

Fotojornalismo juntado com fotografia tradicional
A fotografia é realmente uma arte que remete ao eterno e um verdadeiro clássico é sempre atemporal. É por isso que, por mais vanguardista e modafoca badass 2.0 que pretendamos ser, continuamos valorizando as tais fotinhas tradicionais dos familiares, do primeiro beijo, do buquê.... Mas como ter um pé cá e outro lá? Dá pra fazer, brasileiros!! Hoje temos uma galera extremamente competente aí que colocou como objetivo de vida e trabalho capturar os momentos naturais, mas também dedicar um tempo pra fazer os registros históricos/tradicionais. 
Converse com o profissional que você anda visando sobre esta possibilidade e sobre como acontece na prática essa transição do posado pro flagrante.


Olha! Olha! é a Luiza!
Fotojornalismo antropológico
Qual é a ideia: ir com força em cima de tudo que é orgânico, natural e autêntico tanto no casamento quanto nos noivos e nos convidados.  A cobertura antropológica do casamento não é de gosto fácil. Nem todo mundo se sente confortável com flagrantes do tipo a noiva fazendo cara de dor ao tirar o sapato, ou sem maquiagem olhando pro vazio ao lado do seu vestido. Há quem ache belíssimo (eu acho! eu acho!). Esses caras, antes de buscar o registro puro e simples de tudo o que aconteceu no seu casamento, buscam capturar a alma da celebração, o espírito daquele momento e das pessoas envolvidas; das pessoas enquanto seres humanos mesmo, sabe? O glamour não é uma prioridade. Esse estilo é meio avesso a qualquer coisa posada ou dirigida, preferem o dinamismo e o inesperado. Eles gostam do casamento realidade! Se você vai casar numa locação exótica, se é do samba ou se sabe que vai beber, que a galera não vai parar, se você é da família do Tufão, esse é o seu estilo de registro.
As três acima são de Nathan Thrall






Quanto tempo antes eu devo fechar fotografia?
O mundo é cruel... Fotografia é um dos itens mais caros e mais importantes do casamento, mas também é um dos que você precisa ver logo no começo da brincadeira. Você não precisa necessariamente fechar com alguém, mas precisa começar a pesquisar, a assuntar nos fóruns e grupos de email da vida. A antecedência é super importante, primeiro porque a agenda desses profissionais costuma ser bem apertada e segundo porque se você deixar muito pra cima do dia do casamento vai ficar complicado de pagar/parcelar. Mas essa antecedência é de quanto tempo, afinal?

Broderas, cês devem ouvir por aí com certa frequencia noivas que vão casar daqui há 2, 3 anos já fechando fotografia. Elas costumam bater no peito cheias de orgulho porque já liquidaram esse item, mas vou falar um lance: o fotógrafo é um artista e não um apertador de porcas. Bem, eu penso ser essencial que um artista se reinvente, que evolua, que mantenha a cabeça aberta a novas técnicas e influências. Isso significa que o trabalho que ele faz hoje muito, mas muito dificilmente será o mesmo que ele vai estar fazendo daqui há 3 anos. Daqui há 3 anos ele pode ter virado enfermeiro, astrofísico! Na verdade não confio em nenhum profissional subjetivo que feche negócios tanto tempo antes.
E se o profissional não muda, talvez vocês mudem. Cês vão ver muita coisa, conhecer muita gente, aprimorar ideias, se apaixonar e se desapaixonar de muitas coisas relacionadas ao mundo dos casamentos. Certifiquem-se de que já viram realmente um monte de trabalhos e de estilos antes de tomar a decisão. Fechar muito antes coloca vocês sob o forte risco de encontrarem mais pra frente um profissional apaixonante e que talvez tenha entrado no mercado há pouco tempo.
A escolha da fotografia que nos agrada está intimamente ligada a construção do olhar fotográfico e, se você não trabalha com áudio-visual, saiba que isso leva um tempinho. É um amadurecimento. 

Penso que o ideal é fechar com, no máximo, 1 ano de antecedência!

7 comentários:

Vanessa Codeço disse...

Prill amei!!! Super concordei com td que vc disse.

A minha saga da escolha do fotógrafo está relatada aqui ó: http://besuigeneris.blogspot.com.br/2012/06/day-by-day-bridal-escolha-do-fotografo.html

Não me arrependo da escola: estética, econômica e temporalmente falando.... rs

Post ótimo!!!! Parabens!

Béso.

Maffalda disse...

Nossa, Vanessa, até eu estou no seu post. (E nem casei, só amadrinhei...) =)

Deusa Luh disse...

Que fotos lindas... Dá vontade de casar de novo! rsrsrsrs... Beijos!

solteiras-noivas-casadas.blogspot.com.br

Jane Marie disse...

Nossa Prill, adorei esse post! Já me senti chutada, como você falou, porque quis fazer aquelas fotos com pais, outras atrás da mesa do bolo, do brinde... E daí? Não porque fotojornalismo tá na moda que a foto tradicional virou sinônimo de porcaria!
Beijos

Débora Soares disse...

Lindas as fotos. Meu noivo é fotógrafo de casamento no Rio de Janeiro e nossas fotos vão seguir essa linha. =) Amoooo!

Carolina Cunha disse...

Parabéns pelo blog!!
Você sabe se o site http://www.bridalgown.net é confiável? Abraço, Carol.

Renata Cruz disse...

Ameiiii...Todas as noivas precisam ler isso antes de contratar um fotógrafo!

Beijos

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...