sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A Noiva Recessionista

ou A Noiva Sem Um Puto


Pretendo casar, mas não pretendo gastar. Pelo menos não gastar muito. Primeiro que não temos, eu e o Rafael, um montante substancial assim de bobeira tipo o Catra queimando 50 mil em fogos; precisamos comprar os móveis pra casa, tirar os livros do chão e fazer uma cerquinha pra nos proteger da vizinha macumbeira que nos detesta.
Olha, mas penso que, mesmo se tivesse, casamentos-eventos, desses de revista, desses com alianças da Amsterdam Sauer, 300 convidados, de alto a baixo assinado pela Constance Zahn, não tem absolutamente nada a ver conosco nem com nossa história. Respeito os adeptos da suntuosidade, mas nosso negócio é um low profile, um franciscanismo, uma delicadeza. Principalmente isso: somos militante da delicadeza das coisas pequeniníssimas. O caro é bom, mas ser feliz é um luxo, tá cantando aqui a Nina Becker.

Casar gostoso e gastar pouco: como proceder? Nas minhas leituras sobre o assunto (porque agora tenho essas leituras, caros e caras convivas) descobri o site Intimate Weddings. Que lugar mais bacana! Muitas boas palavras e inspirações pra quem curte um negócio mais miúdo, pra quem tá ney aí que a prima de Campo Mourão vai chorar pra cacete por não ter sido convidada sendo que vocês só se viram uma única vez, em 1990 quando ela veio prestar concurso pra TELERJ. Festejar só com os do afeto, só com os chegados.

Entre uma leitura e outra, uma fofura e outra, dei com um termo fantástico: A Noiva Recessionista. Fruto da última crise financeira norte americana (ou de outras vacas magras, meu caso), a noiva recessionista tá decidida a casar sem abrir mão daquele dinheirinho guardado no sutiã. Se você é dessas, então senta aí que a gente tá junta nos Sete passos para se tornar uma noiva recessionista, tradução/adaptação (minha mesmo) do texto de mesmo título do Intimate Weddings. SÓ DICÃO.


1. Uma lista de convidados curta - Uma noiva recessionista reduz sua lista de convidados. Ela convida apenas pessoas que são importantes para ela. Se ela não vê sua amiga Cheyla há 5 anos e que nunca nem telefona, as chances são de que ela não esteja na lista. E ela não convida ninguém só pela coisa da obrigação (só porque Cheyla, te convidou para o casamento de seu caberereiro, não significa que você tem de devolver o favor). Colegas e parentes relativamente distantes muitas vezes são deixados de fora.

2. DIY (Faça você mesma, sua linda) - Com apenas poucos cliques do mouse, a noiva recessionista aprende a fazer desde os arranjos de mesa até as lembrancinhas. E se ela não leva jeito para artesanato, ela providencia a apresentação do seu projeto para amigos e familiares mais prendados.

3. Regatear
- A noiva recessionista economiza é na negociação com seus fornecedores. Se ela percebe que o vendedor está precisado de clientes, ela não tem medo de lhe pedir um preço melhor ou de incorporar alguns bônus ao seu pedido.

4. Flexibilidade
- A noiva recessionista sabe que o sábado a noite é o dia mais procurado para casamentos, e que também é o mais caro, por isso ela está disposta a fazer o seu casamento em uma sexta-feira, num domingo ou até mesmo em um dia de semana.

5. Segunda mão
- Ela vasculha o Mercado Livre, o Orkut e o Ebay em busca de itens de casamento usados, porém honestos. Se ela curte um lance vintage, então ela vai dar uma olhada em brechós ou em sites como o www.vintageous.com. Ela também usa redes sociais para caçar fotógrafos, bartenders e outros profissionais que estejam dispostos a trabalhar dentro do seu orçamento. Ela é ainda uma noiva esperta e que corre rápido ao menor sinal de falta de profissionalismo ou de má fé.

6. Priorizar - uma noiva recessionista conhece suas prioridades. Ela só desenvolve psicoses por coisas que sejam importantes para ela. Se ela é aficcionada por boa comida e uma iguaria, uma degustação é indispensável para ela, então ela está disposta a cortar itens antes planejados. Isso pode significar que ela usará uma seleção bacana no Ipod ao invés de um DJ, ou imprimir seus próprios convites ao invés de mandar fazer um em caligrafia personalizada.

7. Desenvoltura - Ela faz uso dos muitos talentos que encontra em seu círculo de amizade e entre os familiares. Se sua tia é pianista, ela lhe pedirá para que toque durante a cerimônia, se sua cunhada é designer gráfico, ela irá contratá-la para desenhar os convites. Uma noiva recessionista sabe que ter aqueles de seu afeto envolvidos na feitura do casamento não só corta custos, como transforma o momento em algo muito mais cheio de significado.

imagens: Intimate Weddings e Pigbank wedding

3 comentários:

Emanuelle disse...

A unica coisa que eu sou ruim é em DIY...
Irei casar num domingo a tarde, poucos convidados...
Meu noivo é designer grafico entao o convite ja vou economizar ...
Acho que sou uma noiva recessionista rs
adorei o post!
bjinhus

ಌஜಌ Đξųکล Lų ಌஜಌ disse...

kkkkkkkkkkkk... Tudo que foi escrito eu estou seguindo à risca, Pri, pois não tenho muita grana pra gastar, nem tão pouco quero fazer um grande evento. Quero algo simpleszinho e pronto. :-)
Valeu pelo post!
Xero!

Fla cav disse...

Oi Pri...

Acabei de tomar contato com seu blog e, desde então, não consigo sair da frente do computador!!! já tô aqui há umas cinco horas...rsrsrs

vi seu post mencionando o vintageous.com (amei!) e vi uns vestidos lindos! mas fiquei com medo de comprar...aliás, nem sei se eles entregam aqui! vc chegou a comprar algo neste site ou conhece alguém? é tranquilo, sem problemas?

obrigada! =)

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...