segunda-feira, 17 de outubro de 2011

E o noivo vai como? (ou Noivo acessório: até quando?) parte 1

prque, sinceramente, se o noivo é um acessório, então que seja uma bolsa victor hugo, um manolo blahnik

Minhas senhoras, eu tenho uma dúvida: porque é que a gente demora 1 ano escolhendo vestido, mantilha, brinco, o cacete e na hora de ver a roupa do nosso homem a gente vira e diz
- Ah! Mas roupa de homem é fácil! E a sua mãe vai e diz:
- Ninguém tá lá pra ver o noivo! E aí seu noivo diz:
- Eu visto o que ela mandar! E aí você diz:
- Beleza, já montei um look pra você, agora com licença porque preciso fazer minha décima nona prova do vestido.
Gente! É dúvida e é confissão. É algo que volta e meia me pergunto e me envergonho; o Rafael só resolveu a roupa dele 4 dias antes do casamento. Na verdade, a camisa ele escolheu no dia anterior quando até então a resposta que ele dava pra "e aí, você vai como?" era:
- Eu vou pelado.
É necessário autocrítica, é necessário a noiva sair do umbigo-bunker em que nos enfiam (ok, onde nos enfiamos) pra questionar esse tipo de comportamento. É sério que estamos vilipendiando a identidade e a individualidade dos nossos homens dessa forma?? Porque parece que ficou vetado à eles opinar, decidir, pensar por eles mesmos. Os noivos estão virando Kens, a verdade é essa. Meu país: diz por quê?

Bem, vamos lá, vou usar meus dotes de historiadora. O lance todo é que a moda masculina evoluiu sempre de maneira lentíssima. Os modos de vestir, os usos, as práticas, os acessórios... se vocês olharem com atenção, há poucas viradas radicais no vestuário masculino ocidental (maoooeee ocidente!): os romanos eram gatos garotos de túnica, os medievais curtiam mangas bufantes, os bandeirantes paulistas se embrenhavam nas florestas usando ceroulas e casacos de algodão, o homem moderno morria mas não saía sem seu chapéu, o homem moderno usava gravata, o homem moderno só usava cinza e preto. Os ingleses piram com xadrez. Seu pai casou de boca de sino, seu noivo às vezes vai de gola V trabalhar.
Agora, sério, façam uma tentativa de traçar essa genealogia-zuera com roupas feminas. Tem como?

Mas, vejam, é absolutamente interessante que a roupa dos noivos, ao menos a que a gente vê sempre nas lojas de aluguel, sejam as mesmas desde mil novecentos e lá vai fumaça! Os noivos de hoje tão usando a mesma coisa que o Ken usava nos anos 90!! Meu deus!! O cara não tem pra onde se mexer porque se vê obrigado a usar aquela gravatinha focale (tipo um lenço, sabem qual é?) preso com grampo. Por que? Sim, É PORQUE QUEREMOS CASAR COM O KEN e caguei se você não queria isso, veste, calaboca e casa.

que cosa triste

Não, sério, devo dizer que não é sem frequência que ouço ou vejo as noivas falando coisas desse tipo, acho que vocês vão concordar comigo. Fico sem graça, mas não vou me meter... me meto por aqui. Acho que já passou da hora de admitirmos que nossos homens possuem hoje liberdade, opções e conhecimento do que serve pra que, o que cada roupa quer dizer, ou seja, qual é o dress code quando ele resolve que vai usar gravata borboleta com allstar preto. Os homens hoje tão podendo se expressar e expressar suas identidades; vamos parar de obrigá-los a andar pra trás na hora em que viram noivos. Então, minhas caras, essa postagem é mais pros noivos, é também um pedido de desculpas ao meu homem e também uma tentativa de responder às meninas E MENINOS que perguntam sobre a roupa do Rafa.

Meu querido, cê é noivo e todo mundo diz que ninguém tá indo pra ver você? Cê se sente desrespeitado em sua identidade? Então senta aí, que to no maior apoio a vocês, vamos ver o que é que dá pra fazer.

Bem, em primeiro lugar, meu amigo, o drama é que se você tá decidido a sair um pouco dos padrões, sair daquela dobradinha terno cinza chumbo com gravata prateada e embalar algo mais século XXI, cê tem que esquecer essas lojas de aluguel. Meu, eles tão parados no tempo! Na verdade, sinto até uma má vontade do cacete na hora de atender os noivos, mandam pegar qualquer coisa e muitas acham desnecessário fazer ajustes ao corpo do pobre diabo o que acaba dando aquele efeito "o defunto era maior do que você". É certo que, na realidade das coisas, alugar parece ser a solução mais ajuizada e viável, mas me deixem dizer por que: é porque nessas lojas de aluguel os caras disponibilizam justamente essas roupas da década retrasada. São justamente aqueles trajes do Ken, da década retrasada; ok, às vezes é um negócio legal, mas, majoritariamente, são ternos que pouco têm a ver com a realidade dos nossos dias e que, se comprados, só seriam usados duas vezes: no dia do seu casamento e no dia do seu velório. Tá dando pra acompanhar? Alugar parece razoável porque as pessoas sabem que aquela roupa nunca mais vai ter utilidade. Ela é.. uma fantasia! Tudo bem que o vestido de noiva também é uma fantasia, mas, ao contrário dele, as peças masculinas possuem aplicação cotidiana. Dá pra usar noutras vezes. Tem é que saber comprar.
Mas, afora isso tudo, o mais importante é ter em mente o seguinte:

1. vou me sentir um babaca usando essa roupa?
2. tanto a parte de cima quanto a parte de baixo estão ajustados ao meu tamanho?
3. há chances deu usar isso aqui novamente?
4. o tênis que usei no show do Angra tem aparência digna?
5. acessórios: tô afim?

Olha só, se você acha que vai se sentir um babaca, um zé, esquece! Esquece! Mas pra você saber disso você vai ter de vestir. Com grandes poderes vem grandes responsabilidades, não dá pra ficar de preconceito ou preguiça nesse momento. Não ser um pau mandado exige esforço. Vamos pensar assim, se volta e meia você lê a Trip, a Men's Health, a Playboy, então não é um energúmeno em matéria de moda; se não é mais sua mãe quem escolhe suas cuecas, cê tem alguma mínima noção do que te cai bem. Comece daí. Comece a refletir a partir da roupa que você usou na formatura do seu primo, no casamento do seu chefe, nas roupas que você seleciona na hora de ficar mais charmoso e etc. Pesando os prós e contras do que você usou nessas ocasiões, resolva o que você quer repetir ou que nem fodendo vai rolar no seu casamento.

Ajustar
Nada mais horrível e desonroso do que um noivo usando uma roupa que não cabe nele, ou que não é pro seu tipo físico. Não quero ficar me repetindo, mas é sacanagem você iniciar um novo momento da sua vida - no caso dos noivos de primeira viagem, entrar para o rol dos homens sérios - vestido com uma roupa que não foi você quem escolheu e/ou que nêgo nem se preocupou em apertar ou alargar conforme suas necessidades anatômicas. Eu diria que isso é coisa de viadinho, mas os viadinhos escolhem suas próprias vestes com conhecida perícia.

Se usar novamente é uma chave, seu trabalho conta muito: advogado? pastor? Veja o que você poderia usar novamente nas batalhas de la vida. Você não anda engravatado todo dia, mas acha importante ter um bom terno no guarda-roupas pra ocasiões futuras? Então invista nisso.
Bom, mas aí se você é um cara despojado, seu escritório é na praia, então os caminhos serão ou o aluguel ou o da escolha de uma roupa bacana, mas que não fira os seus princípios do vestir cotidiano. Nesse caso, podemos pensar em:
a) comprar uma roupa bacana ao teu estilo sabendo que pode ser difícil e/ou não barato, mas que vai ter utilidade futura com certeza
b) pedir emprestado de um amigo ou parente e MANDAR AJUSTAR
c) decidir não usar coisa social, usar algo mais dentro do seu estilo hippie, grunje, afro ou steam punk, world of war craft

Ué? Por quê? Não pode? Sua mãe vai chiar? Sua noiva/namorada/concubina vai chiar? Galera, paciência, tá escolhendo casar contigo ou com um personagem? Aliás, esse é o cerne da questão! Noivo acessório: diga não!

Se ce tá numa vibe não-convencional, então se prepara porque o caminho é longo e árduo, mas possível. Vai ser extremamente importante você ter alguém em cujo bom gosto se possa confiar, além da sua noiva, porque ela já tá com muita coisa na cabeça e talvez espere que você exerça sua independência! Pode ser uma amiga fashionista, uma prima, um amigo gay. Você vai precisar de quem te auxilie, quem cate coisas e lojas que você não terá tempo/saco pra catar. O Rafael foi ajudado por duas amigas de infância. Elas foram umas santas! seguem aí em baixo as fotos que elas tiraram dele pra entender o que funcionava e o que não funcionava. AH SIM!! DICA ESSENCIAL: fotografe-se! Não dá pra saber olhando no espelho qual o efeito que a coisa tá tendo. A fotografia te proporciona a visão panorâmica da roupa+ambiente e ajuda a perceber se se está à vontade com a escolha ou não.


AS EXPERIMENTAÇÕES DO RAFA
(em ordem de tentativa)



(Continua na quarta-feira, dia 19/10/2011)

2 comentários:

Fran Huesa disse...

Simplesmente adorei o blog e concordo em gênero, número e grau!!!

Não irei vestir o meu noivo, e pedi para ele ser só um pouco antecipado!!

Só torço para não aparecer de boné de marca de surf, pq a pessoinha adora!!

Noivo acessório: NUNCAAAAAAA!


bjos

http://respireecase.blogspot.com/

Bárbara Borges, Daiene Medeiros e Ian Eliziário disse...

Eu quis escolher a todo custo a roupa do meu noivo, mas ele foi firme com uma noiva e disse: o meu terno quem escolhe sou eu.
Inclusive, o bonito está fazendo suspense e dizendo que eu não posso ver pois dá mau sorte! #Silêncio total!

Alguém me socorre porque eu acho que estou casando com uma Barbie! Rs

Beijo, beijo!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...