quinta-feira, 11 de julho de 2013

Convidando as pessoas para o casamento: dramas, emoções e logísticas de uma tarefa cabulosa

 Aí vocês resolveram casar, pegaram aquele caderno aramado com capa de surfista e começaram a listar os queridos e amados que gostariam de ter presente na celebração do amor. Os pais, os avós, os amigo de sempre, as tias de Goiânia, os primos de Viçosa... é uma maravilha a gente ir listando quem a gente quer bem! Passarinhos azuis sobrevoam a cabeça do casal enquanto os nomes vão se derramando sobre as pautas. Até o surfista da capa sorri!

É então que, repentinamente, o sonho faz catapfot! Sua mãe vira e pergunta:
- E as minhas amigas da igreja? Elas te conhecem desde pequena!
E o gerente do banco diz:
- Não posso liberar um empréstimo de 5 milhões pra pagar o buffet! 
E a cerimonialista diz:
- Mas na sua casa de festas não cabem todos os ex alunos do Sion
E seu noivo diz:
- O moça do café do escritório veio me perguntar do casamento e aí sem querer eu convidei, podia, né?
E o RSVPdo site diz diz:
- Convidados: 200. Confirmados: 60
E sua vizinha noiva diz:
- Tem que colocar convite individual com nome se não todo mundo vai levar peguete, cachorro e papagaio!

Mais uma porrada de gente vai começar a falar coisas aleatórias - e provavelmente escrotas - no seu ouvido porque, como cê já deve ter reparado, casamento é igual barriga de grávida e clube das mulheres: todo mundo quer passar a mão.

O mundo começa a girar, o desespero vai tomando conta e aí tudo o que passa na sua cabeça é: por que mesmo que eu inventei essa merda?? Gata, eu não sei porque a gente inventa essas encrencas, mas se você chegou nessa fase do desespero e das dúvidas a respeito dos convidados, significa que a coisa já tá avançada demais e não vai rolar pegar o ursinho, seu cobertor favorito e sair correndo. Ferrou! Sua única opção agora é: fazer o que tem que ser feito e torcer pra estar viva com seu boy num voo pra Paris ao fim do processo.

O objetivo dessa postagem é traçar um panorama dos problemas e das soluções que envolvem a tarefa de convidar pessoas para o casamento. É importante lembrar que cada caso é um caso e que infelizmente não existe receita de bolo pra essas coisas. Contar com um cerimonial especializado pra analisar sua situação e dar uma força, pode salvar sua vida e poupar dinheiro.

Como montar uma lista de convidados: let's get started baby!
A primeira coisa obvia a fazer é separar os convidados por tipo. A categorização dos convidados pode responder a dois critérios básicos: 1. baseado em quem é convidado de quem e 2. baseado em tipo de vínculo da pessoa.

Quem é convidado de quem
Nesse critério, a lista é dividida entre convidados no noivo, convidados da noiva e, em alguns casos, convidados dos pais de cada para, só a partir daí, serem abertas as sub categorias "amigos", "pessoal do escritório", "pessoal de Goiania".
Para fins de diplomacia, a lista é loteada para que todo mundo tenha uma porcentagem x pré-acordada de convidado. Em casos onde um dos noivos é mais sociável, ou mais cheio de parentes que o outro, o jeito é negociar essa porcentagem. Negociação também é indispensável na situação complexa que se forma quando um dos familiares está colocando grana no casamento e a outra familia - por motivos diversos - não. Sugiro que o casal sente pra conversar francamente sobre o assunto. O mesmo se aplica quando somente os noivos estão custeando a festa, onde, a princípio, a lista fica 50/50 pra cada, mas há parentes ou amigos dos pais que "não podem deixar de ser convidados"

LOTEAMENTO BÁSICO DA LISTA DE CONVIDADOS
Noivo 40%
Noiva 40%
Pais da noiva 10%
Pais do noivo10%
 
Por tipo de vínculo
Essa é a forma básica de fazer listas quando é o casal quem está custeado a festa. AMIGOS, FAMÍLIA DO FULANO, FAMÍLIA DA FULANA, PESSOAL DO FUTEBOL, PESSOAL DO ESCRITÓRIO e etc são algumas labels possíveis.
Recomendo começar sempre pela família e amigos mais próximos pra depois ir abrindo a lista às pessoas com menor convivência ou peso na vida ou do casal ou na de uma das partes. É um saco, mas é importante separar 5% da lista para pessoas que você vai convidar somente por pressão social.

A porcentagem de faltosos
Calcular o número de faltosos não é uma ciência exata. É um trabalho árduo de estatística, sociologia, astrologia, meteorologia e quiromancia. Costumamos calcular que 20% das pessoas convidadas não irão aparecer. Não é porque ela não te ama (às vezes), mas é que sempre vai ter alguém que ficou doente, que vai parir, que vai fazer viagem de negócios etc. Uma amiga minha, por exemplo, não foi porque conheceu um francês; o cara a convidou pra passar um final de semana em Salvador antes dele partir e ela foi néam.. quem nunca?

Coisas que influenciam
A centralidade do local, a proximidade de feriados, a possibilidade ou não de fretar um transportes quando o casamento é longe, eventos futebolísticos, condições climáticas do dia, a antecedência da entrega dos convites, o índice de despirocação dos convidados entre outras.

Vou focar na questão dos convites.
Gente, tenho descoberto o quanto é mais certeira e organizada a estimativa de presentes e faltosos quando a gente começa a pensar os convidados como clientes. Como assim? Ai, não sei explicar direito, é a primeira vez que passo isso pra escrita, mas é mais ou menos o raciocínio seguinte: os convidados/clientes precisam ser seduzidos a comprarem a ideia do casamento. Penso que eles precisam ser convidados não somente pro evento, mas também pra mágica e pra importância do dia. O convite deve ser visto como a última bala, o big shot do casamento. É a partir dele que as pessoas irão sentir e se comprometer com o evento. Ele precisa ser interessante. Quando o convidado pegar o convite ele tem que sacar que ele tá sendo chamado pra um dia imensamente especial e não pra uma reunião de condomínio. Ele tem que sentir - através daquele papel, naquelas cores e naquelas informações - o casal e a história do casal.
Mas pra isso dar certo e também pras pessoas se organizarem pra fazer parte da celebração, o convite precisa ser entregue com antecedência. É importante que 1 mês e meio antes do casório seja a deadline pra que tudo esteja impresso e montado. Indispensável também enviar Save the Date 4 meses antes; não precisa fazer nada complexo, cara (!) só mesmo um aviso delicado de "olha, dia tal a gente vai casar" pra que as pessoas possam organizar sua vida de trabalho, comprar passagem de avião ou mesmo te avisar que, há época, não poderá comparecer. 
Regras de design gráfico para publicidade podem te livrar de grandes dores de cabeça e mesmo de grandes prejus. Evite aqueles convites cheios de relevo dourado e letras manuscritas porque eles são difíceis de ler, exigem maior esforço. Fundo e fontes de cores parecidas também são a maior roubada. Papéis mega brilhantes, fundos cheios de flores e arabescoes loucões também são daora pra ninguém entender porra nenhuma do que tá escrito. 
Um ponto polêmico ainda é o formato da data: aos dezessete de dezembro de dois mil e quatorze às treze horas. pode figurar de maneira bem chique e pomposa. Amo tradições, mas precisamos pensar que vivemos hoje numa sociedade de imagem, o processamento da memória não é mais o mesmo porque convivemos menos com textos do que há 30 anos atrás. Memoriza-se muito mais facilmente 17 de dezembro de 2014 || 13hs.

Fazendo cortes
Nem todo mundo curte a vibe do casamento pra 400 pessoas. Na verdade, como já falamos aqui no blog certa vez, a tendência é a de casamentos menores já que, atualmente, a maioria das celebrações é custeada quase que exclusivamente pelos noivos. A diminuição do número de convidados também tem a ver com as novas formas de socialização e de família.
Infelizmente, essa operação aparentemente simples pode gerar um montão de stress pra vida dos nubentes. 
Na lista do meu casamento, a gente usou 2 critérios principais - para além do fato de que só podíamos ter 90 pessoas presentes - só íamos convidar pessoas que tivessem participado ou que participassem da história dos dois. Nesse escopo, foram cortados todos meus "amigos do bar" e amigos de infância que sumiram no mundo. Parentes mais distantes de ambas as partes e agregados foram igualmente cortados.
O segundo critério era só convidar pessoas que gostaríamos de abraçar nesse dia. No começo foi bem difícil fazer esses vetos principalmente quando eu encontrava na rua uma pessoa cortada X. Nessa hora tem que ter jogo de cintura ou mesmo ser franco (engraçado como ser franco pode soar mal educado nesses momentos): explicava que não ia dar pra chamar todo mundo porque a grana não tava permitindo... Às vezes nem era pela grana, era porque eu não queria convidar aquela pessoa mesmo, mas dane-se, saí colocando tudo na conta do Papa.


É claro que teve barraco de família! É claro que teve gente que apareceu mesmo sem ser convidado! Vou dizer, na hora eu nem liguei. Nos dias seguintes, fiquei putíssima. Hoje a gente vê as fotos e morre de rir.
Aprendi muita coisa sobre as pessoas que me cercam com meu casamento. A gente mistifica muito certos lances em detrimento de ver o que realmente é importante. Se ficarem te olhando de cara feia, abstraia e vá ser feliz.

Os convites individuais
Andaram decretando por aí que os convites individuais caíram em desuso. De coração, bonito eu nunca achei. Parada esquisita, parece ingresso, ticket das barcas. Mas a verdade sobre o mundo é que o brasileiro é um povo que curte festas. A festa é um dos principais traços da nossa cultura e, historicamente, as festas possuem  uma função socializante. Ela não serve só pra comemorar a coisa, mas também pra conhecer gente nova, reforçar laços, marcar estado civil , sair do armário etc. 
É por isso que pra tantas pessoas não faz sentido fazer casamento e não convidar os parentes do Maranhão mesmo que você more há 2mil quilômetros do Maranhão e nunca tenha visto nem foto da parentela. Meu pai responderia prontamente: não conhece, mas vai passar a conhecer! 
É normal também a coisa de "vai ter a festinha de Fulana, bora lá!". Atire a primeira pedra quem nunca foi ao aniversário de alguém que nunca viu na vida.

Isso tudo é muito lindo e orgânico, mas infelizmente casamentos se tornaram absurdamente caros (usando meus clientes como base de dados, cheguei ao total de R$ 380,00 gasto por convidado) e demandam organização pra que as coisas não fiquem loucas, pra que não falte comida, bebida etc. Esse esquema de "vem todo mundo" ficou complicado.... é a aí que entra nosso amigo Convite Individual. Mais do que um "vale night", um ticket de metrô, ele é uma mensagem. Ele diz: só pode ir você e sua mulher. att noivos.

Mas Prill, muita gente burla o individual!! Convidado é muito sem noção!
Antes de mais nada. Vamos parar com esse discurso de "convidado é isso", "convidado é aquilo". Convidados não são um ente cósmico, eles são as pessoas que você está chamando pro seu casamento. Em teoria, são pessoas que vocês amam e querem por perto. Tem os sem noção e os detestáveis sim (aqueles 5% chamados por politicagem?), mas, se a maior parte da sua lista é formada por gente mal caráter, POR QUE VOCÊ ESTÁ CHAMANDO ELES???  Não chama, broder! Ahh, mas vão ficar falando... Deixa falar!! Essa pessoa paga suas contas? Lava suas calcinhas? Então que se exploda! 
Não convide gente escrota! Fim de papo. Simplesmente não faça isso.
 
O convite individual é uma mensagem delicada só pra assegurar que gafes ou mal entendidos sejam evitados e causem desconforto generalizado. Ao entregar os convites, avise que o nome de cada um estará na lista. Sem nome na lista não entra. Se seu melhor amigo arranjou uma namorada semana passada, analise o caso. Se for ok dela ir, pegue o nome e sobrenome. Se você tem amigos que trocam de par a cada fase lunar, analise o caso. Caso dê okey, escreva ao lado do nome dele na lista "+1 acompanhante aleatório".
Em todo caso, incentive seus convidados de maneira objetiva e franca a responderem o pedido de confirmação no site dos noivos. 

Vejo muitas noivas falando sobre colocar nome dos convidados no convite individual. Minha opinião sobre isso é a mesma que eu daria sobre os lugares marcados: pode funcionar para certos públicos, mas, pra maioria, pode soar como grosseria: você tá me chamando de Boça? Acha que vou levar o cachorro da rua pro seu casamento? Em famílias grandes e grupos compactos de amigos onde alguns foram convidados e outros não, a coisa pode virar uma guerra feia. Um outro inconveniente é a perda do convite individual nominal. Se você quer convidar Fulano, mas não Beltrano, diga "quero você, ele não". Por não se comunicar com seu convidado? Por que mandar bilhete ao invés de dizer diretamente? 
Claro, há casos particularmente chatos de resolver. Nesse caso, faça a pessoa complicada saber que é nome na porta e que o segurança vai barrar quaisquer seres aleatórios. Tudo bem que você não contratou equipe de segurança... a pessoa sem noção não precisa saber disso. 

Site do casamento ajudando a convidar
Alguns casais que me procuram dizem que não curtem esse negócio de site de noivos. Pois é, fazer site pode ser meio invasivo, chatinho e até cafona, mas é prático e útil. Tenha um.
Crie um endereço fácil de ser memorizado e escrito. Faça um site agradável de ser visualizado com informações claras e fáceis de serem acessadas.  Evite fundo preto, evite letras miúdas, escreva de maneira gostosa. Convidado >> Cliente. Facilitar a vida de quem quer ir ao seu casamento, disponibilizando informações e etc vai se reverter em muitas coisas boas pra vocês. Alö presentes hahahah ~APAGA~

RSVP
Mas mas mas... sabemos que por mais que o site seja super feliz e convidativo muita gente ainda vai deixar de responder aos pedidos incessantes de confirmação de presença. É unânime entre os profissionais do mercado que brasileiro é um povo que não responde RSVP. Caras, a culpa é toda dos romanos, só digo isso! Realmente somos um povo relax, que acha que vai dar tempo, que acha que não precisa, que já te encontrou na padaria e disse que vai. 
Você estipula uma data final, essa data chega mas aí só 40% dos convidados respondeu. O que faz, chora? Rasga tudo porque esse bagulho de RSVP passivo não serve pra nada? 
Eu acredito que o RSVP do site funciona pra gente ter noção de quem vai - ele também serve para fixar a data e o compromisso de comparecer ao evento na cabeça das pessoas. 
É possível fazer uma estimativa vagabau através do RSVP passivo dobrando o número de confirmados. Mas todos hão de concordar que é no RSVP ativo que a coisa fica mais exata.

O RSVP ativo é um serviço bacana de ser contratado de 20 a 15 dias antes do casamento. Ele consiste em contratar uma pessoa que liga para seus convidados perguntando Então, meu amigo? Vai ou não vai??. Algumas noivas fecham entre si um colaborativo onde uma liga para a lista da outra. Não, meus camaradas, você ligar pros seus próprios convidados não vai dar certo. As pessoas não levam a sério! Vão querer saber como tá essa força, como estão os preparativos. Se ela não pretende ir ao casamento, vai ficar sem graça de te dizer que não vai pra "não fazer desfeita", o mesmo se ela estiver em dúvida. Tem que ser alguém de fora, que seja direto e reto, arranque a verdade. 
 

Destination Wedding
Ah sim! Última coisa: muita gente acha que se fizer um casamento longe de onde os convidados moram o índice de faltosos será necessariamente maior. Ledo engano, amiguinhos! Enfiar uma galera no ônibus (ou na van) gerar comodidade para ida e volta. Os convidados podem, por exemplo, beber à vontade já que não precisarão dirigir ao fim da festa. O esquema basicamente garante que não haverá faltas - ao menos entre aqueles inscritos nos transportes. 
Faça um save the date caprichado e envie-o com ao menos 6 meses de antecedência (o convite também não pode ser pão-com-ovo! Envie-o entre 2 meses e 1 mês e ½ de antecedência). 

Exponha de maneira sedutora e agradável as opções de hospedagem para os convidados se organizarem. Por conta da logística necessária para o deslocamento e pernoite, você já saberá com antecedência folgada quantas pessoas comparecerão. Para os convidados, pode ser aquela desculpa que faltava para passar um final de semana agradável fora da cidade.
 
É isso, amiguinhos...
Espero que essas informações ajudem nas suas sagas casamentísticas

Buena suerte!

**Comentei sobre essas ideias antes de casar, é engraçado repensar nisso... Era uma postagem sobre Orkutização das bodas ;p
** Sobre a diminuição no número de convidados e outros bichos, tem a postagem sobre Casamentos Recessionistas

11 comentários:

Geizianne e José disse...

Lista de convidados é quase uma missão impossível!

Gabriele Sousa disse...

Que post perfeito.
Adorei principalmente a parte que se refere a "quem convidar".
Você escreveu tudo o que eu penso e nem sempre consigo explicar. Agora é só mostrar esse post e poupar saliva. :D

Kel disse...

No meu casamento foi uma blz a parte diplomática com mãe e sogra... pode a prima? não pode... ahh, mas a felisberta augusta lá da igreja, amigona minha, pode, né? eu pago pra ela... não, não pode. E assim foi a novela, até todos se conformarem que era um casamento para pessoas íntimísssssssiiiiissssimas. E assim foi. Acho que estão me escaldando na fogueira até hoje, mas sobrevivi.
Adorei as dicas e já repassei pras minhas noiva!

Ka disse...

Ok.

Recado entendido. Hauhauhauhau

Vou parar de pirar! Já parei até!

Rebeca disse...

Eu nem sabia, mas segui mais ou menos o loteamento que você sugeriu. O foda é quando os noivos não querem que os pais paguem o casamento justamente para eles terem total liberdade sobre a lista e os pais insistem em participar de alguma forma para poderem "comprar" convites. Meus pais lançaram essa...

Lívia Carolina disse...

Adoro seu jeito engraçado de nos dar dicas...aliás dicas valiosas!!

Muito bom o post!!

Beijos

Unknown disse...

A lista foi a parte tensa. Meu pai mandou o save the date para parentes distantes (depois disse que se confundiu e ficamos mudos até o casório... um fiasco), portanto deixem os pais e irmaos BEM avisados! Minha mae queria convidar mais 40 (!) pessoas (a festa foi para 60) e a minha negativa foi uma drama na vida dela.
Ah, tive uns 30 convidados de fora. Desses eu sabia exatamente quem vinha e bem antes :D sucesso.

A Noiva disse...

Amei seu texto! Penso da mesma forma: o importante eh convidar quem vale a pena, e se alguem for falar, deixa falar! A festa eh sua!

Rebeca disse...

É interessante essa idéia do convite. Eu realmente me empolgo muito mais para ir em um casamento quando percebo os noivo no convite! Aqueles convites padrão de gráfica não me dão o menor tesão. Como eu gosto de casamento, acabo indo de qualquer jeito, mas entendo que isso pode ter uma influência grande sobre os convidados. Bjos.

THAIS OLIVEIRA disse...

Nossaaaa como foi bom, como me aliviou e como me diverti lendo esse post!!! Me identifico com várias partrs, rs. Valeu pelas dicas!

Aline Campos disse...

Velhooooooooooooo! Massa demais esse blog aqui cara! Tá doido! Tô devorando todos os post igual Mcdonalds! Super massa esse em especial pq já tô arrancando meus apliques por conta dessa lista! A gente tenta não ser desagradável , mas no final tem que mandar a real mesmo! Valeu pelas dicas e parabéns pelo blog. Eu como publicitária adorei a linguagem, título, subtítulo e afins! "Casamentos alternativos para noivas independentes?" É por aqui que vou ficar!
Beijão

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...